Alvaz Agritech

Blog

Agronegócio

Banana tem valorização acima de 60% no primeiro semestre em SC

13 de Setembro de 2018 Banana tem valorização acima de 60% no primeiro semestre em SCBanana tem valorização acima de 60% no primeiro semestre em SC

O mercado se mostra favorável à produção catarinense de banana. Dados do último Boletim Agropecuário da Epagri/Cepa, demonstram uma valorização de 62,8% nas cotações da banana caturra no comparativo com o primeiro semestre de 2017. A banana-prata também valorizou: 2,8% no comparativo entre as cotações de julho de 2017 e 2018.

No Norte Catarinense, o aumento dos preços foi empurrado pela redução da oferta nos bananais e melhoria na qualidade da fruta. “A estratégia para valorização nas cotações foi o aumento das exportações no período, mesmo que em níveis mais baixos que o ano anterior, e a redução no corte dos cachos na roça, para conter o aumento da oferta da fruta no mercado. A qualidade da fruta está competitiva no comparativo com outras regiões produtoras do país.”, comenta Rogério Goulart Junior, economista da Epagri/Cepa e autor da análise da cultura feita no boletim do órgão.

Já na região Sul de SC, os dados da Epagri/Cepa apontam para uma desvalorização no preço da cultura no inverno, causado pelas temperaturas menores e alta umidade. Segundo os técnicos da instituição houve aumento da incidência de chilling nas frutas, o que pressionou a desvalorização no preço das frutas da região.

No cenário nacional, os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) também demonstram aumento de preços para a banana nanica nas zonas produtoras, em virtude de uma menor oferta nas roças. O órgão prevê ainda novas rodadas de valorização nas zonas produtoras e nos entrepostos atacadistas, movimentação que deve continuar até que o tempo se torne mais favorável à cultura, o que deve ocorrer a partir de novembro.

A análise feita pela Conab mostra um primeiro semestre bastante favorável à produção brasileira. No acumulado do primeiro semestre de 2018, as exportações somaram 32,95 mil toneladas, um aumento de 90,07% em relação ao mesmo período de 2017. O aumento segue uma tendência já apontada na metade final do ano passado, quando as exportações foram 67,67% mais altas em relação aos primeiros seis meses de 2017.

A revista mensal do órgão também aponta para um mercado cada vez mais competitivo na América Latina, destacando os produtores da Colômbia, Paraguai e Equador. Outros fatores também são citados como “desafios de mercado’’: a queda da produção da variante nanica, o preço semelhante no mercado interno e o frio no Uruguai e Argentina, que podem contribuir para uma redução no volume transacionado com esses países.

Fonte: Agroplural

0
  • Compartilhe
Alvaz Agritech

Conheça soluções tecnológicas exclusivas do setor agritech.

acesse o site